História do tênis de mesa:

O tênis de mesa foi criado por oficiais do Exército inglês, a serviço na Índia, no final do século XIX, e turistas ingleses trouxeram o esporte para o Brasil em 1905, mas apenas sete anos mais tarde, foram organizados campeonatos.

Tampas de caixa, rolhas de garrafas e livros foram os primeiros materiais utilizados. O esporte se desenvolveu, ganhou materiais mais apropriados e popularizou-se com o nome de pingue pongue. Hoje, o tênis de mesa é um dos esportes mais praticados do mundo, principalmente na Ásia, continente dos próximos Jogos Olímpicos.

O esporte:

O tênis de mesa é conhecido como o esporte com o tipo de bola mais rápida do mundo, chegando à velocidade de 230 km/h, sendo o esporte de raquete que mais produz efeito na bolinha. As partidas são disputadas em uma melhor de sete sets de 11 pontos cada. Se houver empate em dez pontos, ganha quem primeiro conseguir alcançar uma diferença de dois pontos.

No Brasil, os primeiros a praticarem o esporte foram os turistas ingleses. Aproximadamente em 1912 iniciaram os primeiros campeonatos no esporte. O ano de 1983 foi histórico para o tênis de mesa e seus atletas, afinal marcou o início da primeira aparição do tênis de mesa nos jogos Pan-americanos.

Regras:

Mesa, rede, bola, raquete e dois jogadores. Estas são as primeiras regras para conseguir praticar o tênis de mesa. Mas não para por aí. Para se constituir um jogo profissional do esporte é necessário que a mesa tenha 2,74m de comprimento e 1,525mm de largura e 76cm de altura. Para os jogos de duplas, a superfície é dividida em duas partes iguais por uma linha branca de 3mm de largura na vertical.

Já a rede estende-se por 15,25 cm além das bordas laterais da mesa e tem 15,25 cm de altura. A bola deve ser feita de celulóide ou plástico similar, nas cores branca ou laranja e fosca, pesar 2,7g e ter diâmetro de 40mm. A raquete do jogo pode ser de qualquer tamanho, forma ou peso e constituída de madeira natural em 85% do material. O lado utilizado para bater a bola deve se coberto com borracha. Não é permitido jogar com o lado da madeira.

Constitui-se de sets de 11 (onze) pontos. Pode ser jogada em qualquer número de sets ímpares. No caso de empate em 10 pontos, o vencedor será o que fizer 2 pontos consecutivos primeiro. No saque, a bola deve ser lançada para cima (16cm no mínimo), na vertical e, na descida, deve ser batida de forma que ela toque primeiro no campo do sacador, passe sobre a rede sem tocá-la e toque no campo do recebedor. O saque deve ser dado atrás da linha de fundo ou extensão imaginária desta. Antes do saque, tanto as mãos do sacador, quanto a raquete devem estar no campo de visão do adversário.

A cada dois pontos marcados, a ordem do saque é invertida. Assim, o atleta que estava no serviço passa para a recepção. Com o placar em 10 a 10, a seqüência de sacar e receber deve ser a mesma, mas cada jogador deve produzir somente um saque até que a diferença de dois pontos seja alcançada por algum dos jogadores.

A partida deve ser interrompida quando: o saque "queimar" a rede; o adversário não estiver preparado para receber o saque (e desde que não tenha tentado rebater a bola); houver um erro na ordem do saque, recebimento ou lado ou se as condições de jogo forem perturbadas (barulho, etc).

A não ser que a partida sofra obstrução (não vale ponto), um atleta perde um ponto quando: errar o saque; errar a resposta; tocar na bola duas vezes consecutivas; a bola tocar em seu campo duas vezes consecutivas; bater com o lado de madeira da raquete; movimentar a mesa de jogo; ele ou a raquete tocar a rede ou seus suportes ou se sua mão livre (que não está segurando a raquete) tocar a superfície da mesa durante a seqüência.

Fonte: GloboEsporte.com

O que achou do artigo?

Deixe seu comentário.