Postura correta para jogar sinuca

Todos os anos, a sinuca atrai muitos adeptos em suas diversas modalidades. Mesmo com a popularidade do esporte no Brasil, a maioria dos iniciantes – e até mesmo muitos veteranos “lá do barzinho” – não têm uma instrução adequada. O que acontece? Eles jogam errado, com procedimentos incorretos, e isso limita o seu progresso e inviabiliza possíveis técnicas mais profissionais.
Vamos aprender a jogar direito?

A ideia desse primeiro artigo é ajudar os praticantes da sinuca na parte mais básica do aprendizado: a postura correta para a prática do esporte.

A: Ponte
A ponte é o que você faz com a mão que encosta na mesa e que serve de apoio para o taco. Vários tipos de ponte podem ser utilizados, dependendo da posição da bola branca (cujo nome correto é “tacadeira”) no decorrer da partida. A ponte mais usada é formada pela mão espalmada e desencostada da mesa, formando um “V”, e polegar sobreposto ao dedo indicador.

Independente do tipo de ponte adotado, o grande lance é que ela seja estável.

B: Empunhadura
A empunhadura deve ser feita de modo que a mão fique tão próximo quanto possível do final do taco, segurando-o de forma leve. Jamais deve-se apertar a mão ao redor do taco porque esse ato faz com que a pessoa force a musculatura do antebraço e, com isso, prejudique o desempenho da tacada.

O antebraço e o punho devem funcionar como um pêndulo, de forma que o taco fique exatamente abaixo do cotovelo.

Claro que, obviamente, em algumas situações durante uma partida – como no caso de bolas “acavaladas” ou no caso de a tacadeira se encontrar muito próxima à tabela – pode ser necessário levantar a parte posterior do taco. Mas essas jogadas são exceções. Fora delas, o meu conselho é manter o mais paralelo possível da mesa.

C: Cabeça
No momento da tacada, a cabeça do atleta deve permanecer fixa, reta e com o queixo colado ao taco até que a tacadeira corra, viaje e atinja a bola da vez.

Mesmo sendo a posição mais usual, alguns jogadores preferem adotar uma outra: manter a cabeça levemente inclinada e, assim, colocar o taco exatamente abaixo de um dos seus olhos.

D: Olhos
É importante saber que um dos olhos possui maior capacidade de mira do que o outro, sendo então denominado “olho dominante”.

Para descobrir o olho dominante:

Pegue uma folha de papel (folha de ofício, papel cartão, guardanapo, etc);
Faça uma pequena abertura circular no centro do papel, com diâmetro de aproximadamente 1,5 cm;
Fixe algum objeto na parede (ou desenhe algo em um quadro ou folha) com a dimensão de uma tampinha de garrafa;
Afaste-se aproximadamente 5 metros da parede e, com os braços esticados, segure a folha furada em frente aos olhos;
Posicione a folha furada de forma que, pelo orifício, com os dois olhos abertos, você enxergue o objeto (ou a marca) na parede;
Com a folha furada estática na sua frente, olhe primeiro apenas com o olho esquerdo, depois apenas com o olho direito.
Perceba que, ao fechar um dos seus olhos, o objeto da parede desapareceu, e, com o outro olho aberto, o objeto continuou visível. O olho que te permitiu enxergar o objeto através do orifício é o seu olho dominante e, portanto, é o olho ao qual você deve confiar a sua mira.

E: Pernas e Pés
Basicamente, os iniciantes devem saber que as pernas devem ficar levemente afastadas. Uma delas completamente esticada, atrás, e outra flexionada, à frente. Para o destro, a perna esquerda deve ficar na frente. Para o canhoto, o contrário.

Quantos aos pés, é interessante que ambos fiquem ligeiramente virados para fora, o que tende a auxiliar no equilíbrio do corpo na hora da tacada.